Seguidores

TRADUTOR

domingo, 29 de dezembro de 2013

VIDA E ORAÇÃO DE SANTA PAULA ISABEL CERIOLI


24 de Dezembro 

Batizada como Costanza Cerioli, nasceu na 

família dos nobres e ricos Francisco Cerioli e 

Francisca Corniani, no dia 28 de janeiro de 

1816, em Soncino, Cremona, Itália.


Delicada, inteligente e sensível, dona de um físico frágil, aprendeu cedo a lidar com o sofrimento, alertada pela sabedoria cristã da mãe, que lhe mostrava a miséria presente nas famílias dos camponeses. Aos onze anos, foi entregue às Irmãs da Visitação da cidade de Alzano, para completar sua formação religiosa e cultural, com as quais ficou até os dezesseis anos, destacando-se pela bondade e caridade.

Aos dezenove anos, obedecendo à vontade dos pais, casou-se com o nobre e rico Caetano Busecchi, de quase sessenta anos, herdeiro do conde Tassis. Vivendo no palácio do marido, em Comente, Bergamo, dedicava-se à família e às obras de caridade da igreja. Teve um casamento feliz e harmônico, porém marcado pela morte dos quatro filhos; três logo após o nascimento e o outro, Carlos, com dezesseis anos.

Abatida, continuou cuidando do marido, já bem idoso e doente, até 1854, quando ele faleceu. Assim, com trinta e oito anos, viúva, sozinha e dona de grande fortuna, isolou-se do mundo. Ficou retirada em sua casa, dedicando-se às obras de caridade, nas quais aplicou todo o patrimônio.

Criou colégios para crianças órfãs carentes e abandonadas; instituiu escolas, cursos de catecismo, exercícios espirituais, recreações festivas e assistência às enfermas. Vencendo todos os tipos de dificuldades, desejou fundar uma Congregação religiosa feminina e outra masculina que seguisse o modelo evangélico do mistério de Nazaré, constituído por Maria e José, que acolhem Jesus para doá-lo ao mundo.

Orientada, espiritualmente, pelos dois bispos de Bergamo, em 1857, junto com seis companheiras, fundou o Instituto das Irmãs da Sagrada Família. Nesse dia, Costanza vestiu o hábito e tomou o nome de madre Paula Isabel. Em 1863, realizou seu grande sonho: fundou o Instituto dos Irmãos da Sagrada Família, para o socorro material e a educação moral e religiosa da classe camponesa, na época a mais excluída e pobre.

O carisma da Sagrada Família era o objetivo a ser alcançado, como modelo de ajuda e conforto, aprendendo dela como ser famílias cristãs acolhedoras, unidas no amor, na fraternidade, na fé forte, simples e confiante. Com muita inspiração, ela própria escreveu as Regras para os seus institutos, que foram aprovadas pelo bispo de Bergamo.

Consumida na intensa atividade assistencial e religiosa, com apenas quarenta e nove anos de idade, morreu na véspera do Natal de 1865, em Comonte, Bergamo. Deixou entregue aos cuidados da Providencia Divina o já estabelecido Instituto feminino e a semente plantada do outro, masculino.

Madre Paula Isabel Cerioli foi beatificada pelo papa Pio XII em 1950, durante o Ano Santo.


Foi declarada santa pelo papa João Paulo II em 

24 de Dezembro de 2004 -



ORAÇÃO A SANTA PAULA ISABEL CERIOLI



Em nome de Nosso Senhor Jesus Cristo, da 

Virgem Maria e de José, eu elevo a vós Santa 

Paula o meu pedido para que vós não permita 

que eu não me afaste jamais da caridade pura e 

desinteressada, sabedor que o maior 

beneficiado serei eu mesmo que com isto 

estarei com a minha alma repleta de amor, 

podendo seguir em paz, Santa Paula exemplo 

de caridade, renuncia e fé intercedei por mim.

Que assim seja.


sexta-feira, 27 de dezembro de 2013

VIDA E ORAÇÃO DE SÃO JOÃO “O EVANGELISTA”

JOVEM
 


   IDOSO - V ISÃO DA                                                       APOCALIPSE     





  27-12
                                       


O nome deste evangelista significa: “Deus é misericordioso”: uma profecia que foi se cumprindo na vida do mais jovem dos apóstolos. Filho de Zebedeu e de Salomé, irmão de Tiago Maior, ele também era pescador, como Pedro e André; nasceu em Betsaida e ocupou um lugar de primeiro plano entre os apóstolos.

Jesus teve tal predileção por João que este assinalava-se como “o discípulo que Jesus amava”. O apóstolo João foi quem, na Santa Ceia, reclinou a cabeça sobre o peito do Mestre e, foi também a João, que se encontrava ao pé da Cruz ao lado da Virgem Santíssima, que Jesus disse: “Filho, eis aí a tua mãe” e, olhando para Maria disse: “Mulher, eis aí o teu filho”. (Jo 19,26s).

Quando Jesus se transfigurou, foi João, juntamente com Pedro e Tiago, que estava lá. João é sempre o homem da elevação espiritual, mas não era fantasioso e delicado, tanto que Jesus chamou a ele e a seu irmão Tiago de Boanerges, que significa “filho do trovão”.

João esteve desterrado em Patmos, por ter dado testemunho de Jesus. Deve ter isto acontecido durante a perseguição de Domiciano (81-96 dC). O sucessor deste, o benigno e já quase ancião Nerva (96-98), concedeu anistia geral; em virtude dela pôde João voltar a Éfeso (centro de sua atividade apostólica durante muito tempo, conhecida atualmente como Turquia). Lá o coloca a tradição cristã da primeiríssima hora, cujo valor histórico é irrecusável.

O Apocalipse e as três cartas de João testemunham igualmente que o autor vivia na Ásia e lá gozava de extraordinária autoridade. E não era para menos. Em nenhuma outra parte do mundo, nem sequer em Roma, havia já apóstolos que sobrevivessem. E é de imaginar a veneração que tinham os cristãos dos fins do século I por aquele ancião, que tinha ouvido falar o Senhor Jesus, e O tinha visto com os próprios olhos, e Lhe tinha tocado com as próprias mãos, e O tinha contemplado na sua vida terrena e depois de ressuscitado, e presenciara a sua Ascensão aos céus. Por isso, o valor dos seus ensinamentos e o peso das suas afirmações não podiam deixar de ser excepcionais e mesmo únicos.

Dele dependem (na sua doutrina, na sua espiritualidade e na suave unção cristocêntrica dos escritos)  aquela primeira geração pós-apostólica que com ele trataram pessoalmente ou se formaram na fé cristã com os que tinham vivido com ele, como S. Pápias de Hierápole, S. Policarpo de Esmirna, Santo Inácio de Antioquia e Santo Ireneu de Lião. E são estas precisamente as fontes donde vêm as melhores informações que a Tradição nos transmitiu acerca desta última etapa da vida do apóstolo.

São João, já como um ancião, depara-se com uma terrível situação para os cristãos,perseguições individuais por parte de Nero e perseguições para todos os cristãos por parte de seu sucessor, o Imperador Domiciano.

Além destas perseguições, ainda havia o cúmulo de heresias que desentranhava o movimento religioso gnóstico, nascido e propagado fora e dentro dos círculos cristãos, procurando corroer a essência mesma do Cristianismo.

Nesta situação, Deus concede ao único sobrevivente dos que conviveram com o Mestre, a missão de ser o pilar básico de todos os cristão naquela hora terrível. E assim o foi. Para aquela hora e para as gerações futuras também. Com a sua pregação e os seus escritos ficava assegurado o porvir glorioso do Cristianismo, entrevisto por ele nas suas visões de Patmos e cantado em seguida no Apocalipse.

Completada a sua obra, o santo evangelista morreu quase centenário, sem que nós saibamos a data exata. Foi no fim do primeiro século ou, quando muito, nos princípios do segundo, em tempo de Trajano (98-117 dC).

Três são as obras saídas da sua pena incluídas no cânone do Novo Testamento: o quarto Evangelho, o Apocalipse e as três cartas que têm o seu nome.

São João Evangelista, rogai por nós!

ORAÇÕES A SÃO JOÃO EVANGELISTA  

ORAÇÃO(1)

Ó São João Apóstolo e Evangelista, fostes o mais íntimo confidente das palavras de vida que brotavam dos lábios de Jesus; o mais próximo de sua glória, no Tabor; de seu coração, na Ceia; de sua Cruz, no Calvário. 
Ó Apóstolo do Amor, sois por excelência a testemunha da fé, da verdade e da caridade. Pelo amor e fidelidade ao Mestre, sois o protetor de todos os cristãos; dos sacerdotes: vivestes o sacerdócio em toda a sua plenitude; da virgindade: sois o apóstolo virgem; das mães, merecestes ser dado por filho a Mãe de Deus; das crianças e dos jovens: fostes o mais moço dos apóstolos; dos velhos: é como ancião que vos apresentais na Epístolas; dos que sofrem: padecestes ao pé da Cruz; das almas contemplativas: estivestes no Tabor; dos pobres: por eles trabalhastes nas minas de Patmos; dos doentes: curastes os enfermos; dos males do corpo e do espírito: após traçar o sinal da cruz bebestes do cálice com veneno e ressuscitastes os mortos: de todas as pessoas que querem dedicar-se aos seus irmãos e amá-los em Deus: a caridade não pode ter ideal mais puro que o do amigo de Jesus.
 Ó Apóstolo, orador da divindade, pela grandeza de vossa vida e pelos dons que recebestes, sem cessar, intercedei por nós ao Pai, Filho e Espírito Santo, agora e sempre e por todos os séculos dos séculos.

Que assim seja.


ORAÇÃO 2

São João, apóstolo de Jesus, nos defenda na batalha contra o mal.

Seja nossa defesa contra o egoísmo, a maldade e as armadilhas do demônio.
A vós recorro, proteja-me dos perigos que me rodeiam no cotidiano.

Que seu escudo me proteja contra meu egoísmo e minha indiferença a Deus e ao próximo. Inspire-me em imita-lo em todas as coisas.

Possa a sua benção estar comigo para sempre, de modo que eu possa sempre ver Cristo no próximo, e trabalhar para o Seu Reino.

Espero que com sua graça, obtenha para mim junto a Deus, aqueles favores e graças que eu preciso para conseguir vencer as tentações, misérias e aflições do dia a dia.

Que seu coração sempre repleto de amor, compaixão e misericórdia para aqueles que estão aflitos e necessitados, nunca deixe de consolar e assistir a todos aqueles que invoquem a sua poderosa intercessão.

Confiante e com a esperança que ouvirá as minhas preces e que intercederá por mim junto ao Pai, pela graça especial que eu imploro a vós, a  de...................(mencionar aqui a graça desejada)
E ainda, entrego-me a vontade do Pai, sabedor que se eu não puder alcançar a graça que almejo, certamente é para o meu próprio bem, colocando-me o Senhor a conformação no coração e um novo caminho se abrirá conforme a vontade do Pai.

Que assim seja.    


             

domingo, 1 de setembro de 2013

VIDA E ORAÇÃO DE SANTA PATRÍCIA


25-08


Santa Patrícia nasceu em Constantinopla no início do século Vll. Filha de família nobre, seu pai era Constante ll, imperador de Constantinopla e descendente de Constantino, o grande. Constantino fora o imperador que decretou o Cristianismo como religião oficial do Império Romano.

Desde sua infância Santa Patrícia foi educada por uma empregada de nome Aglaia, que era muito cristã. Muito cedo fez voto de virgindade. Seu pai, porém, sem saber das intenções da filha, arranjou-lhe casamento com um nobre, como era costume na época.
Quando Patrícia explicou a seu pai suas intenções, este, de imediato, não aceitou. Por isso, Patrícia fugiu com Agláia e mais algumas amigas que compartilhavam o mesmo ideal, pois seu pai queria que ela casasse de qualquer maneira. Ao fugir, Patrícia levou parte de seus bens. Ela foi para as ilhas gregas e depois para Nápoles na Itália.

Patrícia gostou muito de Nápoles e indicou o local onde gostaria de ser sepultada: diante do Mosteiro das irmãs basilianas, dedicado aos santos Nicandro e Marciano. Foi em Nápoles que passou a ajudar as igrejas da cidade com seus bens.
A ajuda vinha em forma de dinheiro e decoração das igrejas não só com ornamentos dignos, como também com utensílios essenciais para as celebrações litúrgicas. Além disso, Santa Patrícia dava dinheiro para os conventos que ajudavam os pobres e conseguiu várias relíquias de santos mártires para que fossem colocadas nos altares das igrejas.

Temendo alguma perseguição por parte de seu pai, Patrícia foi para Roma, pedir proteção ao Papa Libério. Porém ele soube que seu pai, na verdade, tinha compreendido sua escolha e estava conformado. Então, lá mesmo, ela recebeu dele o véu, símbolo de consagração a Deus.

Sabendo que seu pai estava conformado com sua escolha, Santa Patrícia volta para sua terra natal. Ela voltou com Agláia e suas amigas com algumas finalidades: rever seu pai e se reconciliar com ele e sua família.
Em segundo Lugar, Patrícia foi renunciar oficialmente à sua herança e à coroa e distribuir seus bens aos pobres. Depois, Patrícia pretendia ir a Jerusalém para uma peregrinação à Terra Santa.

Santa Patrícia conseguiu atingir parte de seus objetivos: reconciliou-se com seu pai e distribuiu seus bens aos pobres. Porém, na ida para Jerusalém, o navio se desviou por causa de ventos contrários e foi se arrebentar no litoral de Nápoles, sendo que seus restos foram parar na ilha de Megaride, também conhecida como Castel dell'Ovo, onde havia um pequeno convento. Ali, Patrícia foi socorrida e acolhida pelas irmãs. Mas ela estava muito ferida por causa do naufrágio.

Santa Patrícia faleceu pouco tempo depois no convento Megaride, por causa dos ferimentos. Aglaia, organizou o funeral com a participação de muita gente, inclusive o Bispo e o Duque da cidade.
Conta-se que o carro puxado por bois que levava o corpo de Santa Patrícia, sem ninguém comandar, parou diante do Mosteiro das irmãs Basilianas, exatamente no lugar em que ela queria ser sepultada e onde estão suas relíquias. O convento posteriormente foi chamado de Convento das Irmãs Patricianas.

O povo de Nápolis passou a difundir o seu culto e ela se tornou a co-padroeira da cidade, junto com o padroeiro São Genaro. Ela foi canonizada em 1625. Anos depois, seus restos mortais foram transferidos para a capela do Mosteiro de São Gregório Armênio. Seu culto é celebrado no dia 25 de agosto.


Oração a Santa Patrícia


Santa Patrícia, que renunciaste
à coroa, à nobreza e ao poder e nos mostras com teu exemplo que tudo neste mundo é passageiro, ensina-nos a enxergar essa verdade todos os dias de nossa vida. Ajude-nos no ideal de seguir Jesus radicalmente, no desapego dos bens materiais e na ajuda aos mais necessitados. Santa Patrícia, rogai por nós.

Que assim seja.  


FONTE :www.cruzterrasanta.com.br


domingo, 25 de agosto de 2013

SENHOR EU SEI QUE TU ME SONDAS







Senhor,

Eu sei que tu me sondas

Sei que também me conheces

Se me assento ou me levanto

Conheces meus pensamentos

Quer deitado ou quer andando

Sabes todos os meus passos

E antes que haja em mim palavras

Sei que tudo me conheces




Senhor eu sei que tu me sondas 

Deus, tu me cercastes em volta

Tuas mãos em mim repousam

Tal ciência, é grandiosa

Não alcanço de tão alta

Se eu subo até o céu

Sei que ali também te encontro

Se no abismo está minh'alma

Sei que aí também me amas

Senhor eu sei que tu me sondas Senhor eu sei 

que tu me amas

NOSSA SENHORA








Cubra-me com seu manto de amor
Guarda-me na paz desse olhar
Cura-me as feridas e a dor me faz suportar
Que as pedras do meu caminho
Meus pés suportem pisar
Mesmo ferido de espinhos me ajude a passar
Se ficaram mágoas em mim
Mãe tira do meu coração
E aqueles que eu fiz sofrer peço perdão
Se eu curvar meu corpo na dor
Me alivia o peso da cruz
Interceda por mim minha mãe junto a Jesus

Nossa Senhora me de a mão
Cuida do meu coração
Da minha vida do meu destino
Nossa Senhora me dê a mão
Cuida do meu coração
Da minha vida do meu destino
Do meu caminho
Cuida de mim

Sempre que o meu pranto rolar
Ponha sobre mim suas mãos
Aumenta minha fé e acalma o meu coração
Grande é a procissão a pedir
A misericórdia o perdão
A cura do corpo e pra alma a salvação
Pobres pecadores oh mãe
Tão necessitados de vós
Santa Mãe de Deus tem piedade de nós
De joelhos aos vossos pés
Estendei a nós vossas mãos
Rogai por todos nós vossos filhos meus irmãos

Nossa Senhora me de a mão
Cuida do meu coração
Da minha vida do Meu destino
Do meu caminho
Cuida de mim...

LOUVOR DE SÃO FRANCISCO DE ASSIM





Senhor, fazei-me instrumento de Vossa paz.

Onde houver ódio, que eu leve o amor.

Onde houver discórdia, que eu leve a união.

Onde houver ofensa, que eu leve o perdão.

Onde houver dúvida, que eu leve a fé.

Onde houver desespero, que eu leve a esperança.

Onde houver tristeza, que eu leve a alegria.

Onde houver trevas, que eu leve a luz.

Mestre, fazei que eu procure mais consolar que ser consolado.

Mais compreender que ser compreendido.

Mais amar que ser amado.

Pois é dando que se recebe.

É perdoando que se é perdoado.

E é morrendo que se vive para a vida eterna.

Que assim seja.

RASTROS NA AREIA





O sonho que tive esta noite,
foi um sonho de amor,
sonhei que na praia deserta
eu caminhava com Nosso Senhor.


Ao longo da praia deserta ,
quis o Senhor me mostrar,
cenas por mim esquecidas,
de tudo que fiz nesta vida,
Ele me fez recordar.


Cenas e horas felizes,
que a mesa era farta na hora da ceia
por onde eu havia passado,
ficaram dois pares de rastro na areia.


Então o Senhor me falou:
“Em seus momentos passados,
para guiar os seus passos,
eu caminhava ao seu lado.”


Porém minha falta de fé,
tinha que aparecer,
quando passavam as cenas ,
das horas mais tristes de dor do meu ser
então Senhor, reclamei,
somente meu rastro ficou.

Quando eu mais precisava
Quando eu sofria e chorava
O Senhor me abandonou.


Naquele instante sagrado,
Ele abraçou-me dizendo assim:
“Usei a coroa de espinhos
Morri numa cruz e dúvidas de mim.”


“Filho esses rastros são meus,
Ouça o que eu vou lhe dizer:
Nas suas horas de angústias
Eu carregava você”.


GRATIDÃO






Pois quando o passarinho, não pode cantar

Ecoa fica triste pode até morrer 

Mesmo que tem a asas não quer nem voar 

Seus olhos brilham e quase querendo chorar 

Não bebe não descansa e para de comer 



Pois cada ser vivente tem seu próprio som 

O qual emite com toda espiração 

Anunciando a obra das tuas mãos

As folhas batem palma para ti senhor 

O vento a soprar ministra o louvor 

O som direcionado a ti é com amor (2x).



Se tudo que vida exalte o teu nome

O quer que tó fazendo em silencio aqui 

Por eu isso peguei meu violão, 

E compus essa canção é para ti Senhor ouvir. 



Eu aprendi que estás em meus aos louvores 

E sei que tu se faz presente hoje aqui 

Ao som das cordas desse violão 

Eu expresso a gratidão, 

Não sou nada Deus sem ti

VIDA E ORAÇÃO DE SÃO JOSÉ CALAZANS




25 DE AGOSTO


Nasceu em 11 de setembro de 1556 em Peralta, Barbastro, Aragon, Espanha, no castelo de seu pai.
Mais novo de cinco filhos de Dom Pedro Calazans e Donna Maria Gastónia. Sua mãe e um irmão morreram quando estava ainda na escola. Estudou em Estadilla, na Universidade de Lereda, em Valença, e em Alcala de Henares. Graduou-se em Leis canônicas e em Teologia. Seu pai desejava que ele fosse um soldado, casasse e constituísse família. Mas uma doença muito grave em 1582 fez com que José examinasse seriamente sua vida, e sentisse uma chamada à vida religiosa.

Ordenado em 17 de dezembro de 1583. Pároco em Albarracin. Secretário do Bispo e confessor, examinador e procurador, notável pregador, religioso muito zeloso implantou maior disciplina no clero da  região.
Vigário Geral em Templo, Espanha.
Depois de uma visão, doou grande parte de sua herança e renunciou ao restante e viajou para Roma em 1592. Trabalhou com Ascanio, Cardeal de  Colonha como conselheiro teológico e espiritual do cardeal e trabalhou diretamente com as vitimas da praga de 1595. Milagrosamente não contraiu a terrível doença.

Membro da Confraria para a Doutrina Cristã, tentou colocar as crianças pobres e desabrigadas na escola. Os professores mal pagos se recusaram a trabalhar com estudantes novos sem aumento do salário.
 Assim em novembro de 1597 José e mais dois companheiros fundaram uma pequena escola para crianças pobres. Em breve ele supervisionava diversos professores e centenas de alunos.

Em 1602 eles reorganizaram o ensino na comunidade e mudaram para o Palácio de Torres com muito mais salas. Em 1621 a comunidade foi reconhecida como a Ordem religiosa “La Sciole Pio” e José foi indicado como superior da Ordem: “Os Piaristas”
A comunidade encontrou muitos obstáculos: a amizade de José com o astrônomo Galileu provocou certos problemas com alguns bispos da Igreja. Alguns governantes objetavam que educar os pobres poderia provocar agitação futura. Outras Ordens que trabalharam com os pobres ficaram receosas de serem absorvidas pelos Piaristas.
Mas o grupo continuava tendo a aprovação papal e continuava a fazer o seu extraordinário trabalho.

Já idoso, José viu sua Ordem ser quase extinta. Foi acusado de incompetente pelo Padre Mario Sozzi que foi escolhido como novo Superior. Quando Sozzi morreu em 1643 foi substituído pelo Padre Cherubino que seguiu o mesmo curso de Sozzi, quase acabando com a Ordem.

Felizmente uma comissão papal examinou José e o liberou das acusações e o reinstalou como a Superior da Ordem em 1645.

Mas os problemas continuaram, e em 1646 o Papa Inocêncio X dissolveu a Ordem e colocou os padres sob a jurisdição dos bispos locais.

Os Piaristas se reorganizaram em 1656, oito anos após a morte de José.
Foram restaurados os trabalhos como Ordem Religiosa em 1669 e seu bom trabalho continua até os dias de hoje.

São José Calazans faleceu no dia 25 de agosto de 1648, aos noventa anos,  em Roma de causas naturais e foi enterrado em São Pantaleone, Roma.

Beatificado em 18 de agosto de 1748 Pelo Papa Benedito XIV e  canonizado em 16 de junho de 1767 pelo Papa Clemente XIII.

É padroeiro das escolas de crianças, escolas para pobres e estudantes pobres.

Sua festa é celebrada no dia 25 de agosto.
FONTE:http://www.santoprotetor.com

ORAÇÃO


São José Calasanz, com a permissão de Deus Pai e em nome de Nosso Senhor Jesus Cristo, proteja nossas crianças carentes e marginalizadas que muitas vezes clamam pelo pão que mata a fome, o pão da educação, do amor, da ternura e do afeto, fazendo com que todos nós tenhamos vontade de ajudar e colaborar.
Que assim seja.

domingo, 11 de agosto de 2013

NOSSA SENHORA DAS NEVES


05-08 


No ano de 363 vivia em Roma um ilustre descendente de nobre família romana, o qual, não possuindo herdeiros, resolveu em combinação com a esposa, consagrar sua imensa fortuna à glória de DEUS e em honra a Santíssima Virgem MARIA.

Na noite de quatro para cinco de agosto estava pensando seriamente no assunto, quando a Rainha do Céu apareceu-lhe em sonhos e disse-lhe:
"Edificar-me-eis uma basílica na colina de Roma que amanhã aparecerá coberta de neve".
Ora, nos dias quatro e cinco
 de agosto, é a época de maior calor na Itália. Mas no dia seguinte, devido a um estupendo milagre, o monte Esquilino estava coberto de neve.

A população da cidade acudiu ao lugar do prodígio e até mesmo o Papa Libério que recebeu a mesma revelação também em sonho, acompanhado de todo o clero, para lá se dirigiu.

Logo depois de iniciada a construção, a basílica foi denominada de Nossa Senhora das Neves, devido ao fenômeno climático.
Este templo, no entanto, é conhecido universalmente pelo nome de Santa Maria Maior (Basilica di Santa Maria Maggiore) por ser a mais importante entre todas as Igrejas de Roma dedicadas à Virgem Santíssima.

No Brasil Nossa Senhora das Neves é padroeira de Iguape.

ORAÇÃO e NOVENA A NOSSA SENHORA DAS NEVES

PRIMEIRA ORAÇÃO

  Ó Maria, Senhora das Neves, Mãe de toda a humanidade.

   Venho do tumultuo e corre-corre do mundo. O cansaço invade todo o corpo e principalmente a alma. É tão difícil aceitar em paz o que acontece ao redor da gente, durante um dia de trabalho e de luta.


   Por isso eu venho a ti, ó Mãe, por que dentro de mim está uma criança insegura. Mas junto a ti sinto-me forte e confiante. Renova-me completamente para que eu consiga ver como a vida é bela. Levanta-me para que eu possa caminhar sem medo. Dá-me a tua mão para que eu acerte sempre o caminho. Dá-me tua benção e faz-me compreender que o apostolado sem silêncio é alienação; e que o silêncio sem apostolado é puro comodismo. Ajuda-me a dizer "SIM", sempre que o Bom Jesus, teu Filho, pedir algo de mim.
Que assim seja, em nome de Deus de Nosso Senhor Jesus Cristo e do Espírito Santo.

SEGUNDA ORAÇÃO

Ó MARIA SANTÍSSIMA, MÃE DE DEUS e nossa Mãe, por aquela sublime lição que nos destes, conservando a Vossa Alma mais cândida que a mais pura neve, desde o feliz momento que vos foi anunciado pelo anjo do ALTÍSSIMO que serias a mãe do MESSIAS, querendo edificar em nosso coração um templo místico consagrado ao Vosso tão querido culto, Vos pedimos, ó grande VIRGEM MARIA, que nos conceda de DEUS, a graça sublime de bem cuidar de nossa perfeição interior e principalmente de conservar ilibada a santa virtude da pureza.
Ó excelsa VIRGEM DAS NEVES, protegei o Brasil, que é Vosso desde o dia abençoado do descobrimento, durante a colonização, no império e na república, e vosso será em todos os tempos, porque assim desejam os vossos filhos que Vos amam com ternura e afeição, e desejam viver à sombra augusta da Cruz, sob a Vossa maternal e acolhedora proteção. Assim seja.
Abençoe-nos DEUS Todo Poderoso, o PAI, o FILHO e o ESPÍRITO SANTO.
Amém


NOVENA A NOSSA SENHORA DAS NEVES


1o dia: Deus cria homens e mulheres com igual dignidade
"E Deus disse: Façamos o ser humano á nossa imagem e semelhança. Deus criou o ser humano á sua imagem, á imagem de Deus o criou. Homem e mulher ele os criou. E Deus abençoou-os e disse: sede fecundos e multiplicai-vos, enchei a terra e dominai-a" (Gn 1,26-28). Também disse Deus: "Não é bom que o homem esteja só, vou fazer-lhe uma auxiliar que lhe corresponda. Então o Senhor Deus fez vir sobre o homem um profundo sono e ele adormeceu. Tirou-lhe uma das costelas e fechou o lugar com carne. Depois, da costela tirada do homem, o Senhor Deus formou a mulher e apresentou-a ao homem". (Gn 2,18.21)

ORAÇÃO: Ó Senhor, que quisestes dar a mulher como companheira do homem, criando-a do seu lado aberto e com igual dignidade, nós te pedimos por todos os homens e mulheres de nosso tempo. Que saibamos valorizar-nos uns aos outros e reconheçamos a igualdade de dignidade entre os sexos, ainda que tenhamos características individuais diferentes.
Que assim seja.


2o dia: Apesar do pecado, Deus continua amando o ser humano
Após o pecado original, o Senhor Deus disse á serpente: "porei inimizade entre ti e a mulher, entre a tua descendência e a dela. Esta te ferirá a cabeça e tu lhe ferirás o calcanhar". (Gn 3,15).

ORAÇÃO: Ó Deus, que apesar de nosso pecado continuastes a nos amar e nos prometestes desde o início que nos mandarias um Salvador, que nos resgatasse do pecado original, nós te pedimos a graça de permanecermos fieis cristãos e a força para fugirmos de todo pecado que nos afasta de Vós.
Que assim seja.

3o dia: Profecia do nascimento de Jesus:
"O próprio Senhor vos dará um sinal: eis que a virgem conceberá e dará à luz um filho e lhe porá o homem de Emanoel" (Is 7,14)

ORAÇÃO: Ó Deus, que quisestes que da obediência de uma mulher nos viesse o salvador, para resgatar aqueles que se tinham perdido pela desobediência de outra mulher, nós te agradecemos pelo "sim" de Maria e te pedimos a graça de também sempre dizermos "sim" à tua vontade. Que assim seja.

4o dia: o Messias ocupará o trono de Davi
Preparei para Israel, meu povo, um lugar para o qual o transplantei, para que nele ficasse morando sem ter mais motivo para tremer e sem que os ímpios continuassem a dizimá-lo como antes, desde o tempo em que fiz os juízes governarem Israel, meu povo. Derrotei todos os inimigos e agora te declaro que o Senhor te vai construir uma casa. No fim de tua vida, quando te fores juntar a teus antepassados, então farei tua descendência te suceder, na pessoa de um de teus filhos, cujo reinado eu tornarei estável. Ele me construirá uma casa e eu darei firmeza a seu trono para sempre. Serei para ele um pai e ele será para mim um filho. Nunca retirarei dele o meu favor, como o retirei de teu antecessor. E o farei administrar minha casa e meu reino; e seu trono estará firme para sempre". De acordo com todas estas palavras e de acordo com aquela manifestação divina, Natã falou a Davi. (1Cr 17,9-15)

ORAÇÃO: Obrigado, Senhor, por suscitar um descendente de Davi, filho de Maria, para ser o rei do universo. Obrigado também por acolher-nos em seu Reino. Dá-nos a graça da fidelidade. Que assim seja.

5o dia: Chega o tempo: anúncio do anjo
"Quando Isabel estava no sexto mês, o anjo Gabriel foi enviado por Deus a uma cidade da Galiléia, chamada Nazaré, a uma virgem prometida em casamento a um homem chamado José, da casa de Davi. A virgem chamava-se Maria. O anjo entrou onde ela estava e disse: 'Alegra-te, cheia de graça! O Senhor está contigo'. Ela ficou muito confusa com estas palavras e começou a pensar qual seria o significado da saudação. O anjo, então, disse: 'Não tenhas medo, Maria! Encontraste graça junto de Deus. Conceberás e darás à luz um filho e lhe porás o nome de Jesus. Ele será grande; será chamado Filho do Altíssimo e o Senhor Deus lhe dará o trono de Davi, seu pai. Ele reinará para sempre sobre a descendência de Jacó e o seu reino não terá fim'. Maria, então, perguntou ao anjo: 'Como acontecerá isso, se eu não conheço homem algum?'. O anjo respondeu: 'O Espírito Santo descerá sobre ti e o poder do Altíssimo te cobrirá com sua sombra. Por isso, aquele que nascer de ti será chamado santo, Filho de Deus. Também Isabel, tua parenta, concebeu um filho na velhice. Este já é o sexto mês daquela que era chamada estéril, pois para Deus nada é impossível'. Maria disse: 'Eis aqui a serva do Senhor! Faça-se em mim segundo a tua palavra'. E o anjo retirou-se". ( Lc 1,26-38)

ORAÇÃO: Ó Deus, que mandastes seu anjo a Maria anunciar-lhe que fora escolhida para realizar seu grande plano de salvação, ajuda-nos a sermos disponíveis à tua vontade e a colaborarmos de bom grado com teus planos, que sempre visam nossa própria felicidade. Que assim seja.

6o dia: Maria visita Isabel
"Naqueles dias, Maria partiu apressadamente para a região montanhosa, dirigindo-se a uma cidade de Judá. Entrou em casa de Zacarias e saudou Isabel. Quando Isabel ouviu a saudação de Maria, a criança pulou de alegria em seu ventre e Isabel ficou repleta do Espírito Santo. Com voz forte, ela exclamou: 'Bendita és tu entre as mulheres e bendito é o fruto do teu ventre! Como posso merecer que a mãe do meu Senhor me venha visitar? Logo que a tua saudação chegou aos meus ouvidos a criança pulou de alegria no meu ventre. Feliz aquela que acreditou, pois o que lhe foi dito da parte do Senhor será cumprido'" (Lc 1,39-45).

ORAÇÃO: Ensina-nos, Jesus, a ter o espírito de serviço de vossa Mãe, que, mesmo sabendo-se grávida do Filho de Deus, honra que jamais ninguém no mundo poderia imaginar, não se vangloriou de sua situação, mas correu ao encontro de sua prima, para servi-la. Ensina-nos também a colocar-nos a serviço de nossos irmãos necessitados. Que assim seja.

7o dia: Jesus no Templo
"Todos os anos os pais de Jesus iam a Jerusalém para a festa da Pascoa. Quando Jesus completou doze anos, eles foram para a festa, como de costume. Terminados os dias da festa, enquanto eles voltavam, Jesus ficou em Jerusalém, sem que seus pais percebessem . pensando que estivesse na caravana, caminharam um dia inteiro. Começaram então a procurá-lo entre os parentes e conhecidos. Mas, com não o encontrassem, voltaram a Jerusalém, procurando-o. Depois de três dias encontraram o menino no Templo, sentado entre os mestres, ouvindo-os e fazendo-lhes perguntas. Todos os que ouviam o menino ficavam admirados com sua inteligência e suas respostas. Quando o viram, seus pais ficaram comovidos e sua mãe lhe disse: 'Filho, por que agiste assim conosco? Olha, teu pai e eu estávamos, angustiados, à tua procura!" Ele respondeu: 'Por que me procuráveis? Não sabíeis que devo ocupar-me das coisas de meu pai?' Eles, porém, não compreenderam a palavra que ele lhes falou. Jesus, então, desceu com eles para Nazaré e lhes era submisso. Sua mãe guardava todas estas coisas no coração. E Jesus ia crescendo em sabedoria, tamanho e graça diante de Deus e dos homens. (Lc 2,41-52).

ORAÇÃO: Ensina-nos, Jesus, a cuidar das coisas de teu Pai. Dá-nos também a capacidade mariana de meditar sobre todas as cosias que vêm do alto e guardá-las em nosso coração. Que assim seja.

8o dia: Maria aos pés da Cruz
"Junto à cruz de Jesus estavam de pé sua mãe e a irmã de sua mãe, Maria, mulher de Cleófas, e Maria Madalena. Jesus, ao ver sua mãe e, ao lado dela, o discípulo que ele amava, disse à sua mãe: 'Mulher, eis o teu filho!'. Depois disse ao discípulo: 'Eis a tua mãe!' A partir daquela hora, o discípulo a acolheu junto a si". (Jo 19,25-27).

ORAÇÃO: Senhor Jesus, que ao conceder Maria como mãe a João, no--la destes como mãe de toda a humanidade, dai-nos um carinho filial para com ela, a fim de que, amando-a, possamos dar-te glória por toda a eternidade.
 Que assim seja.

9o dia: Aparição de Nossa Senhora das Neves
No século IV vivia em Roma um ilustre descendente de nobre família romana, o qual, não possuindo herdeiros, resolveu, em combinação com a esposa, consagrar sua imensa fortuna à glória de Deus. Estava pensando seriamente no assunto, quando a Rainha do Céu apareceu-lhe em sonhos e disse-lhe: - "Edificar-me-eis uma basílica na colina de Roma que amanhã aparecerá coberta de neve". Era noite de 4 para 5 de agosto, época de maior calor na Itália, mas no dia seguinte, devido a um estupendo milagre, o monte Esquilino estava coberto de neve. A população da cidade acudiu ao lugar do prodígio e até mesmo o Papa Libério, acompanhado de todo o clero, para lá se dirigiu. Logo depois de iniciada a construção, a basílica foi denominada de Nossa Senhora das Neves, devido ao fenômeno climático. Este templo, no entanto, é conhecido universalmente pelo nome de Santa Maria Maior por ser a mais importante entre todas as Igrejas de Roma dedicadas à Virgem Santíssima.

ORAÇÃO: Senhor, que nos revelastes os segredos mais íntimos do Pai com tua encarnação e permitir que Maria e os santos continuem a se manifestar à humanidade em circunstâncias extraordinárias, nós te agradecemos por terdes permitido que vossa mãe aparecesse ao piedoso casal de Roma e pedisse que fosse construída uma igreja em sua homenagem. Depois disso, milhares de igrejas em todo o mundo são dedicadas à Maria, com seus diversos títulos. Ao bendizê-la, estamos cumprindo teu Evangelho. Ela é o caminho seguro que nos lava a ti, Jesus, único Caminho que nos leva ao Pai. Faze que nunca desviemos nossos passos dos teus caminhos.
 Que assim seja


                  http://www.derradeirasgracas.com