Seguidores

TRADUTOR

sábado, 1 de abril de 2017

VIDA E ORAÇÃO DE SÃO SERAFIM DE SAROV

01-08 e 15-01 ( pelos fiéis)
19-07 e 02-01 (calendário igreja)




São Serafim, cujo nome de batismo era Prohor Mochnin,nasceu em 01 de agosto de 1759 na cidade de Kursk, em uma família de comerciantes.

Aos 10 anos de idade ele ficou seriamente enfermo. Durante sua doença ele viu em sonho a Mãe de Deus, que prometeu curá-lo. Alguns dias depois acontecia uma procissão em Kursk com o ícone de veneração local e milagroso da Virgem, Mãe de Deus .
Devido ao mau tempo a procissão seguiu um caminho mais curto que passava diante da casa dos Mochnin. Depois que a mãe trouxe Serafim para junto da imagem milagrosa ele recuperou-se rapidamente.

Na adolescência ele precisava ajudar seus pais na loja da família, porém o comércio pouco o atraía. O jovem Serafim frequentar a Igreja e se isolar para rezar.

Aos 18 anos de idade Serafim decidiu firmemente tornar-se monge. Sua mãe o abençoou com um grande crucifixo de cobre, o qual ele usou durante toda a vida, por cima de suas vestes. Em seguida ele entrou para o mosteiro de Sarov como noviço.

Desde o primeiro dia, no mosteiro, a abstinência excepcional de alimentos e sono tornou-se particularidade característica de sua vida.
Ele se alimentava apenas uma vez ao dia, e assim mesmo de muito pouco. Às quartas e sextas-feiras não comia nada. Após pedir a benção de seu "staretz" (superior espiritual), ele passou a se embrenhar na floresta com frequência para oração e meditação religiosa. Daí a pouco tempo ele adoeceu gravemente, e durante três anos foi forçado a ficar acamado a maior parte do tempo.
Mais uma vez ele foi curado pela Santíssima Virgem Maria. Ela lhe apareceu acompanhada por vários santos. Apontando para o venerável Serafim, a Virgem Santíssima falou ao apóstolo João o Teólogo:"Este é da nossa linhagem." Depois, tocando seu flanco com o bastão, Ela o curou.

A tonsura monástica realizou-se em 1786 (quando ele tinha 27 anos). Deram-lhe o nome de Serafim, o que em hebraico significa "ardente, ígneo." Logo ele foi feito hierodiácono.
Ele justificava seu nome através do ardor extraordinário da oração. Todo o tempo, exceto um breve descanso, ele passava na Igreja. Através dessa oração e dos serviços religiosos, São Serafim foi digno de poder ver anjos servindo e cantando na Igreja. Durante a liturgia da quinta-feira Santa ele viu o próprio Senhor Jesus Cristo na forma do Filho do Homem, seguindo para a Igreja junto com uma legião celestial e abençoando a todos que rezavam. Assombrado com esta visão o Santo não conseguiu falar por um longo tempo.

Em 1793 São Serafim foi ordenado hieromonge, após o que durante um ano ele oficiou e tomou a Santa Comunhão todos os dias. Após esse tempo, São Serafim começou a retirar-se para sua "ermida distante" - uma floresta afastada cinco quilômetros do Mosteiro de Sarov.

Grande foi a perfeição alcançada por ele nesse tempo.
Animais selvagens como ursos, coelhos, lobos, raposas e outros - se aproximavam da cabana do asceta. A "staritza" (idosa) do mosteiro de Diveevo, Matrona Plescheiva, viu, pessoalmente, São Serafim dando de comer de suas mãos a um urso que veio até ele. "O rosto dele me pareceu excepcionalmente maravilhoso; estava radiante e iluminado, como o de um anjo," - ela descrevia.

Enquanto vivia em sua ermida, certa vez São Serafim sofreu muito nas mãos de bandidos. Estando de posse de um machado, São Serafim não opôs resistência a eles.

 Em resposta às ameaças e as exigências de dinheiro, ele colocou o machado no chão, cruzou os braços sobre o peito e obedientemente se rendeu a eles. Eles começaram a golpeá-lo na cabeça com o cabo do seu próprio machado. O sangue começou a escorrer de sua boca e ouvidos, e ele caiu sem sentidos. Depois disto eles começaram a bater nele com um pedaço de madeira tosca, davam pontapés e o arrastavam pelo chão. Eles pararam de golpeá-lo somente quando pensaram que ele havia morrido. O único tesouro que os bandidos acharam em sua cela foi o ícone do Enternecimento da Mãe de Deus, diante do qual ele sempre orava.

 Quando, após algum tempo, os bandidos foram capturados e julgados, o Santo monge tomou a defesa deles diante do juiz. Após as agressões físicas dos bandidos, São Serafim ficou encurvado pelo resto da vida.

Logo depois disso começa o período "pilar" da vida de São Serafim, quando ele passava os dias sobre uma pedra próxima à sua "ermida," e as noites - na espessura da floresta. Quase sem intervalos, ele orava com os braços erguidos para o céu. Essa façanha dele continuou por mil dias.

Por causa da visão especial da Mãe de Deus, ao final de sua vida, São Serafim tomou para si a incumbência de tornar-se um "staretz" (ancião).
Ele começou a receber todos que vinham procurá-lo atrás de um conselho ou orientação. Muitos milhares de pessoas, de todo tipo de vida e condição, começaram a visitar Serafim, o qual as enriquecia do seu tesouro espiritual adquirido por ele pelos feitos (ou atos) de muitos anos. Todos o viam como uma pessoa dócil, alegre, muito cordial. Ele saudava os que chegavam com as palavras: "Minha alegria"!

A muitos ele aconselhava: "Adquire a paz de espírito e milhares se salvarão a teu redor." Não importa quem viesse até ele, ele se inclinava diante de todos até o chão e os abençoava, beijando-lhes as mãos. Ele não necessitava de que os visitantes lhes contassem a seu respeito, pois sabia de antemão aquilo que cada um tinha na alma. Ele dizia ainda: "Alegria - não é pecado. Ela afasta o cansaço, pois, do cansaço surge o desânimo, e não há nada pior do que isto."

"Ah, se você soubesse, - dizia ele certa vez a um monge, - que alegria, que doçura aguardam a alma do justo no Céu, você decidiria suportar com gratidão qualquer tristeza, aflição, perseguição e calúnia nesta vida passageira.

Se esta nossa própria cela estivesse cheia de vermes, e se esses vermes estivessem comendo nossa carne no decorrer de toda nossa vida na terra, deveríamos concordar com isso, com todas as nossas forças, a fim de não perdermos de forma alguma a alegria celestial que Deus preparou para aqueles que O amam.

Um acontecimento milagroso da transfiguração da face do santo foi descrito por um admirador próximo e discípulo de São Serafim - Motovilov.
Aconteceu no inverno, num dia nublado. Motovilov estava sentado sobre um tronco na floresta. São Serafim estava acocorado diante dele falando sobre o sentido da vida cristã, explicando, por que motivo nós, cristãos, vivemos na terra.
"É preciso que o Espírito Santo penetre em nosso coração, - dizia ele. - Tudo aquilo de bom que nós fazemos por Cristo, nos é dado pelo Espírito Santo, porém mais do que tudo a oração, a qual está sempre em nossas mãos."
"Batiushka"(padre) - respondeu Motovilov, - como é que eu posso ver a graça do Espírito Santo; como posso saber se Ele está comigo ou não?"
São Serafim começou a dar-lhe exemplos da vida dos santos e apóstolos, porém Motovilov ainda não entendeu. O santo então tomou-o com firmeza pelo ombro e disse: "nós dois agora, meu caro, estamos no Espírito Santo. Foi como se os olhos de Motovilov se abrissem, e ele viu que o rosto do santo brilhava mais do que o sol. Em seu coração Motovilov sentiu alegria e paz, seu corpo estava cálido, como no verão e ao redor deles se espalhava uma doce fragrância. Ele se apavorou com esta mudança extraordinária, principalmente com o fato de que o rosto do staretz resplandecia igual ao sol. Mas São Serafim disse-lhe: "Não tenha medo, meu caro. Você nem poderia estar me vendo se você mesmo não estivesse na plenitude do Espírito Santo. 

Agradeça ao Senhor por Sua misericórdia para conosco." Foi assim que Motovilov compreendeu, na mente e no coração o que significava a descida do Espírito Santo e Sua transfiguração no homem.

Muitos foram os diálogos de Motovilov e São Serafim: Diálogos clique 
Em janeiro de 1833, ele foi encontrado morto no chão de sua cela, com suas roupas queimadas por uma vela que havia caído de suas mãos e com a face voltada para o ícone da Virgem na parede da cela.

Foi canonizado em 19 de julho de 1903 pela Igreja Ortodoxa Russa.

.
Os dias das comemorações de São Serafim são: 1o de agosto e 15 de janeiro (19 de julho e 2 de janeiro pelo calendário da Igreja).



ORAÇÃO

Gostaríamos somente de citar aqui uma oração de penitência — a de S. Efrem o Sírio — que os fiéis recitam com amor e contrição durante a Grande Quaresma, e que o staretz (São Serafim )havia incluído em sua regra cotidiana por sua grande beleza e sua íntima correspondência com o espírito da ortodoxia.
    
 Senhor e Mestre de minha vida
    afasta de mim o espírito de preguiça
    o espírito de dissipação
    de domínio e de vã loquacidade
   
    Concede a teu servo
    o espírito de temperança
    de humildade
    de paciência e de caridade
   
 Sim, Senhor e Rei
    concede-me que veja as minhas faltas
    e que não julgue a meu irmão
    Pois tu és bendito pelos séculos dos séculos


fonte da oração:





CLIQUE E LEIA : DIÁLOGO DE SÃO SERAFIM E MOTOVILOV

Nenhum comentário:

Postar um comentário

SEJAM BEM VINDOS SEU COMENTÁRIO É UM INCENTIVO E CARINHO